Quem sou eu

O Fórum é um espaço aberto que possibilita uma mobilização e articulação dos órgãos públicos, entidades não governamentais e usuários na garantia e defesa dos direitos deste segmento, sem distinções religiosas, étnicas, ideológicas e/ou partidárias.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

ATENÇÃO

OLÁ!!
O FPPPI tem agora novo site:
http://forumpopularpessoaid.wix.com/fpppi
VISITEM, esse blog ficará por um ano ativo ainda, até que todos vocês possam visitar o novo site...
Atenciosamente, 
FPPPI

http://forumpopularpessoaid.wix.com/fpppi

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Reunião do FPPPI - OUTUBRO


Queremos agradecer a participação de vários representantes de entidades ligadas a pessoa idosa na Reunião Ordinária do FPPPI, em especial ao SISMUC, a Associação de Moradores da Vila Osternack, a Associação de Moradores dos Conjuntos Prata I, II, III e IV, a Paróquia São José da Família, a ABRAZ-PR, e aos representantes do SETS/IAI, do Programa Saúde em Casa/HIZA, Assembléia Legislativa do Paraná/Deputado Estadual Gilson de Souza, PMC/SMS/DSCIC, e principalmente a diretora Tereza Kindra por acolher o FPPPI no Hospital do Idoso Zilda Arns e toda sua equipe, nosso muito obrigada!
Parabéns também aos membros representantes das entidades que compõe o Fórum que estavam presentes nesta reunião: Instituto Amigos da Pessoa Idosa (Rodrigo Barbieri), Lions Clube Gama de Curitiba (Edilmere Sprada), Ação Social do Paraná (Cláudia Hernandes), ABRAZ-PR (Rosiléia e Altair Rodrigues), Associação Nacional de Gerontologia - PR (Gilson Gomy de Ribeiro), UMULIC (Maria da Paz) e aos usuários Roque Basso (Curitiba) e Maria José (Fazenda Rio Grande).


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Roda de Conversa - Cuidador Familiar de Idosos

Dia 02 de Outubro 2012 RODA DE CONVERSA
Cuidador Familiar de Idosos
pelo Grupo Cadernas na Faculdade de Educação São Braz...
Participe e convide seus familiares e amigos...

Reunião do FPPPI em Bocaiuva do Sul/PR - 01 de outubro

Agradecemos o imenso carinho de todos os membros do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa de Bocaiuva do Sul - PR por ter acolhido o FPPPI na reunião em 01 de outubro de 2012, onde foi apresentada a palestra sobre Qualidade de Vida na Maturidade pela 1ª Secretária Administrativa do FPPPI, Edilmere Sprada e a fala sobre Estatuto do Idoso com Adv. Rodrigo Barbieri.


Taís do CMDPI de Bocaiuva, organizadora do evento.


Adv. Rodrigo Barbieri falando sobre o Estatuto do Idoso



Homenagem do FPPPI a todas as pessoas idosas


DIA INTERNACIONAL DO IDOSO - 01 de outubro.

VELHAS ÁRVORES
Olha estas velhas árvores, mais belas
Do que as árvores moças, mais amigas,
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas...
O homem, a fera e o inseto, à sombra delas
Vivem, livres da fome e de fadigas:
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E os amores das aves tagarelas.
Não choremos, amigo, a mocidade!
Envelheçamos rindo. Envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem,
Na glória de alegria e da bondade,
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!
Olavo Bilac






Em dez anos, mundo terá mais de 1 bilhão de idosos, diz ONU

Notícias muito importantes...ATENÇÃO!

Leiam: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/10/121001_populacao_idosa_dg.shtml

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Idosos são 12% da população do país


Vitor Abdala
Repórter da Agência Brasil


A população brasileira chegou a 195,2 milhões de habitantes em 2011, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada hoje (21) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As pessoas com 60 anos ou mais de idade já representam 12,1% da população total.
A Pnad 2011 confirmou a tendência de envelhecimento da população brasileira. Em relação a 2009, o número de brasileiros com 29 anos ou menos diminuiu, enquanto aqueles com 30 anos ou mais aumentaram.
De acordo com o IBGE, 23,3% da população tinham até 14 anos em 2011, 16,9% de 15 a 24 anos e 47,8% entre 25 e 59 anos.
A pesquisa também mostrou que 47,8% dos brasileiros se declararam brancos, 43,1% disseram se considerar pardos e 8,2% pretos. Os índios representam 0,4% da população e os amarelos, 0,6%. A Região Norte concentra a maioria dos pardos (67,9%) e também dos indígenas (1,6%) entre a população regional, enquanto o Nordeste tem a maior concentração de pretos (10,5%).
A região com maior número de brancos é a Sul (77,8%). Já as regiões Sudeste e Centro-Oeste são aquelas que concentram a população de amarelos (0,7%).
Segundo a Pnad, 57,1% dos brasileiros com 15 anos ou mais idade viviam em algum tipo de união conjugal, enquanto 21% estavam separados e 22% eram solteiros. Quase 60% dos homens viviam em união, contra 54,8% das mulheres.
Edição: Carolina Pimentel

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Aprovado hoje 12 de setembro de 2012 por UNANIMIDADE o Projeto de Lei que regulamenta a Profissão de Cuidador de Idosos



Comissão de Assuntos Sociais vota regulamentação da profissão de cuidador de pessoa idosa

Iara Farias Borges e Laércio Franzon


O Projeto de Lei do Senado (PLS) 284/2011, de autoria do senador Waldemir Moka (PMDB-MS), será votado em decisão terminativa na comissão.A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) vota, na próxima quarta-feira (12), em reunião marcada para as 9h, substitutivo da relatora, senadora Marta Suplicy (PT-SP), ao projeto de lei que regulamenta a profissão de cuidador de pessoa idosa.
De acordo com o projeto, o cuidador de pessoa idosa é o profissional que desempenha funções de acompanhamento e assistência exclusivamente à pessoa idosa. Poderão exercer a profissão pessoas com mais de 18 anos que tenham concluído o ensino fundamental e curso de qualificação específico, conferido por instituição de ensino reconhecida por órgão público de educação competente.
Pessoas que, à época de entrada em vigor da nova lei, exerçam a função há, pelo menos, dois anos, serão dispensados da exigência de conclusão do curso.
As funções do cuidador de pessoas idosas incluem auxílio na realização de rotinas de higiene pessoal e de alimentação; cuidados preventivos de saúde e auxílio na mobilidade da pessoa idosa; e apoio emocional e para convivência social da pessoa idosa.
Na justificação do projeto, Moka argumenta que o envelhecimento da população brasileira gera demanda cada vez maior pelo trabalho do cuidador de idoso. “Mantidas as atuais tendências demográficas, em 2050, o Brasil contará com 63 milhões de idosos ou 172 idosos para cada 100 jovens. Em um quadro demográfico tendendo acentuadamente ao envelhecimento, cresce exponencialmente de importância do trabalho do cuidador de idoso”, observa ele.
Ao concordar com o autor do projeto, Marta Suplicy informa que existem hoje no Brasil mais de 200 mil cuidadores de idosos, sendo apenas 10 mil com carteira assinada, o que revela a necessidade de uma lei para regulamentar a profissão, incentivando a formalização de contratos.

ATA DO III ENCONTRO COM OS CANDIDATOS A PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA



ATA DO III ENCONTRO COM OS CANDIDATOS A 
PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA
  
Aos trinta e um dias do mês de agosto do ano de dois mil e doze, aconteceu o III Encontro com os Candidatos à Prefeitura Municipal de Curitiba, organizado pelo Fórum Popular Permanente da Pessoa Idosa de Curitiba, Região Metropolitana e Litoral, com o apoio da Liga Acadêmica de Gerontologia Prof. Zanardini e da Faculdade Dom Bosco. Gilson Fernando Gomy de Ribeiro, encarregado do cerimonial, abriu os trabalhos explicando que cada candidato teria dez minutos para explanação de seus projetos/programas, exclusivamente voltados ao atendimento da Pessoa Idosa, e que não haveria debate entre os candidatos. Após dez minutos de explanação seriam concedidos a cada candidato mais cinco minutos, para resposta a três perguntas, a serem preparadas pelos presentes. As perguntas não respondidas no ato serão encaminhadas ao candidato argüido, para posterior resposta. As respostas quando recebidas dos candidatos, serão publicadas no site do Fórum (http://forumpessoa-idosa.blogspot.com.br/). Foi então informado o nome dos oito candidatos à Prefeitura de Curitiba, conforme segue: Alzimara Bacellar (PPL); Avanilson Alves Araújo (PSTU); Bruno Cesar Deschamps Meirinho (PSOL); Carlos Roberto Massa Junior (PSC); Carlos Roberto Moraes (PRTB); Gustavo Bonato Fruet (PDT); Luciano Ducci (PSB) e Rafael Valdomiro Greca de Macedo (PMDB). Informou ainda Gilson Fernando Gomy de Ribeiro, que cada candidato depois de sua apresentação deverá assinar o Termo de Compromisso Público, onde o mesmo se compromete a adotar na prática as medidas propostas e/ou projetos apresentados neste III Encontro, juntamente com as demais ações detectadas neste evento, caso seja eleito. Na sequência agradeceu a presença das seguintes entidades presentes no evento: Instituto Amigos da Pessoa Idosa, Ação Social do Paraná, Lions Clube Gama de Curitiba, Associação Nacional de Gerontologia do Paraná – ANG/PR, Associação Brasileira de Alzheimer – ABRAZ-PR, Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual do Paraná – SINDAFEP, FAFIPAR-UNATI de Paranaguá, Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa do Paraná-CEDI/PR, Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa de Curitiba-CMDPI, Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa de Araucária, Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa de Paranaguá, Fundação de Ação Social, Recanto Tarumã, CONSAI e Pastoral da Pessoa Idosa. Dando inicio aos trabalhos Gilson Fernando Gomy de Ribeiro convidou para abrir o evento, o Sr. José Araújo da Silva, Secretário Geral em exercício do FPPPI, representando também a Ação Social do Paraná e Presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa (CEDI-PR). Sr. José Araújo da Silva iniciou agradecendo o apoio da Liga Acadêmica de Gerontologia Professor Zanardini e da Faculdade Dom Bosco, bem como dos presentes ao evento. Na sequência, informou que no Brasil, dobrou o nível de esperança de vida ao nascer, num espaço de poucas décadas e em uma velocidade muito maior que os países europeus vivenciaram o fenômeno, que levou cerca de um século e meio para ocorrer. É notável que, antropologicamente em quase todas as culturas do mundo há uma seleção de direitos e deveres em cada faixa etária, sendo que, no caso da velhice, há um abandono quase total, por vezes sendo expresso pelo desejo de que os idosos morram o quanto antes, havendo inclusive culturas que agem neste sentido, levando seus idosos para morrer longe de sua comunidade. Já na questão epidemiológica, sabemos que, com o avanço da medicina e das ciências afins, com a melhoria dos hábitos de vida, a melhoria dos ambientes, mas principalmente com o avanço da medicina, a expectativa de vida da população mais que dobrou nas últimas décadas. Neste cenário, ganham corpo muitos tipos de violência que a pessoa idosa vem sofrendo em nosso país: negligência, abandono, agressão física, verbal e psicológica, apropriação indébita, abusos sexuais, desrespeito, discriminação institucional, governamental, cárcere privado, ameaça de morte, morte, uso de drogas pelo agressor e invasão de propriedade. Dados do IBGE dão conta de que, no Brasil, o contingente de idosos tem crescido de forma acelerada. O censo de 2010 aponta para mais de vinte e um milhões de pessoas idosas no país, ou seja, em torno de 11% da população atual. Estima-se que até 2020, o país conte com quarenta milhões de pessoas idosas, sendo então enquadrado como o sexto país com mais pessoas idosas no mundo.  No Paraná temos perto de 1.200.000 pessoas idosas representando 11,2% da população. Em Curitiba o contingente de pessoas idosas é de aproximadamente 200.000, representando 11,3% da população. A sociedade precisa conscientizar-se de que a pessoa idosa é cidadã com direitos e merece envelhecer de maneira ativa e saudável. O Estatuto do Idoso, em seu art. 4º prevê que: “Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação, violência, crueldade ou opressão, e todo atentado aos seus direitos, por opção ou omissão, será punido na forma da Lei”. Desta forma, a pessoa idosa não pode mais ficar à margem da sociedade e nem ser vista de forma infantilizada. Ainda, no artigo 46, o Estatuto diz que: “a política de atendimento ao idoso far-se-á por meio do conjunto articulado de ações governamentais e não governamentais da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios”. Assim é papel de todos assegurarem a inclusão social das pessoas idosas. Sem que isso ocorra, é impossível proporcionar um país verdadeiramente democrático e, por conseguinte uma cidade também democrática. Estamos a menos de dois meses para a eleição municipal. Aqui teremos os senhores candidatos e senhora candidata expondo suas ideias para atender essa faixa da população. É com certeza uma boa hora para discutirem-se políticas públicas pensadas para que aqueles que tanto já fizeram pela cidade, pelo estado e por nosso país. Encerramos adaptando o slogan da Presidente Dilma dizendo que “Um município rico é também um município sem violência contra a pessoa idosa”. Tenhamos todos, uma excelente manhã de trabalhos voltados às pessoas idosas. Obrigado. Seguindo o roteiro do cerimonial, Gilson Fernando Gomy de Ribeiro convidou a candidata Alzimara Bacellar a usar da palavra. A candidata agradeceu o convite e explicou o que é o Partido Pátria Livre (PPL). Apresentou sua mãe de 89 anos que é sua maior incentivadora, e expôs a sua proposta: 1) Implantação de centros de convivência com atividades de arte e cultura, com a implantação de coral e artesanato. 2) Implantação de “centros-dia” com equipes multidisciplinares para atendimento aos idosos, constituindo-se em espaço de promoção da saúde e exercício da cidadania. 3) Ampliação dos serviços de apoio domiciliar ao idoso, instituindo os serviços de atendimento domiciliar nos hospitais públicos. O cuidador ajuda, mas a obrigação do atendimento multiprofissional é do estado. Proponho que todos os hospitais do município tenham atendimento domiciliar. Eles devem atender a população que já está coberta pelo atendimento do hospital. Com isto haverá também espaço para que cuidadores sejam formados e treinados, para servirem de apoio para as famílias. 4) Assistência especializada à saúde e programa de medicamentos.5) Implantação de atividades para a promoção da saúde física e mental, como ritmo e movimento, hidroginástica, musculação, etc. 6) Investir em campanhas educativas de combate à violência, estereótipos e preconceitos em relação a velhice; 7) Fortalecer parceria com o Centro de Referência de apoio ao Idoso e ao Disque Denúncia; 8) Fortalecimento do Conselho Municipal do Idoso;  9)Capacitar profissionais de várias áreas de conhecimento a lidar com os problemas da população idosa. 10) Com o controle das doenças infecto contagiosas e a melhora na qualidade de vida, a expectativa de vida e o número de pessoas que atingem a terceira idade, tende a aumentar. Na continuidade o espaço foi aberto para perguntas à candidata: 1ª) Hoje vemos os asilos como depósito de idosos, pessoas que abrem esses lares, somente pensando na parte financeira; existe uma proposta para a fiscalização desses lugares? R: O poder público tem obrigação de fiscalizar estas casas, para verificar as condições que os lares funcionam. O poder público não pode se omitir.  2ª) O Estatuto do Idoso é muito importante, no entanto a ausência de políticas publicas o inviabiliza. Como exemplo a isenção tarifária nos meios de transporte é considerada a partir de 65 anos. Não é contraditório se no Estatuto do Idoso é considerada idosa a pessoa a partir de 60 anos?  R: A Prefeitura tem que ter um controle firme, as empresas de transporte coletivo dizem que não tem condições de assumir para 60 anos. Tem que haver fiscalização. Pode-se e deve-se cumprir a Legislação, principalmente para pessoas de baixa renda.  Terminada a apresentação a candidata assinou o Termo de Compromisso, agradeceu o convite e às pessoas presentes. Gilson Fernando Gomy de Ribeiro chamou à mesa o candidato Gustavo Bonato Fruet, do Partido Democrático Trabalhista (PDT), o qual agradeceu o convite, parabenizou o Fórum pelo espaço para discussões das Políticas Públicas e passou a apresentar sua proposta: 1) Registrou que todos têm orgulho da cidade de Curitiba e é fundamental voltar às ações para a educação de crianças, jovens e adultos e que a tendência é equilibrar, dando prioridade também para o idoso, para erradicar o analfabetismo; 2) Recuperar a qualidade e credibilidade na área da saúde – atenção básica, dando importância ao atendimento especializado. O Hospital do Idoso é importante, mas só está em funcionamento 10% de sua capacidade. É necessário fazer convênios e que ele faça parte da rede. Comentou que seu pai trabalhou em prol dos aposentados e para a criação do Estatuto do Idoso, em especial na área da saúde pública. 3) trabalhar num processo de aproveitamento de pessoas de todas as idades e contar com a experiência de idosos; 4) Fazer prevenção contra a violência e contra as drogas. Foi aberto o espaço para perguntas, como segue: 1ª) A Prefeitura concedeu 30 horas para a enfermagem. Quando todos terão esse direito?  Qual a sua proposta de melhoria para a enfermagem?  R: 30 horas para todos os profissionais da saúde e teremos clareza nos benefícios para cada carreira e muito diálogo com o setor. 2ª) O Centro Dia é importante, pois mantém o vínculo familiar. Temos que dar mais atenção ao atendimento básico, assim, diminui-se o risco. 3ª) Existem muitas pessoas idosas que se deslocam de outras cidades para tratamento aqui em Curitiba. Que tipo de atendimento ou ajuda, recebem esses idosos que vem de outro lugar se consultar e/ou tratar em Curitiba? Existe algum plano ou projeto? R: Consórcio Metropolitano Integrado de Saúde. Rede de atendimento com alguns municípios para cuidar do idoso. O candidato assinou o Termo de Compromisso. Chamado à mesa, o candidato Bruno Cezar Deschamps Meirinho, do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), fez ver que tem crescido a população idosa e é um elemento que temos que comemorar, estamos vivendo mais. O tema dos idosos, não fosse pela sua evidente importância do ponto de vista humanista, tem ganhado ainda mais relevância em função da transformação do perfil demográfico da população brasileira. O expressivo aumento da terceira idade em meio à população geral deve ser comemorado como uma conquista nacional, ao mesmo tempo em que nos lança novos desafios do ponto de vista social (agravados pelas desumanas supressões dos direitos dos aposentados, sobretudo nos últimos vinte anos). Fundamentalmente, os direitos da população idosa foram estabelecidos pelo Estatuto do Idoso, aprovado pelo Congresso Nacional em 2003. Como em tantas outras situações, contudo, trata-se de um conjunto de leis que apenas parcialmente tem saído do papel. Para garantir esses direitos, ao menos no âmbito municipal, a Prefeitura e seus órgãos devem: 1) Garantir atendimento preferencial e especializado (com servidores formados especificamente para essa finalidade) em todos os postos de contato do idoso com o poder público municipal. 2) Destinação de verba específica para políticas destinadas à população idosa. 3) Política preventiva de saúde para a população idosa, que inclua práticas esportivas, acesso ao lazer e atendimento especializado nas unidades de saúde. Como em vários outros momentos, a atual gestão fundamenta sua política de saúde para a terceira idade na ampliação da rede hospitalar e não na prevenção. 4) Gestão plenamente estatal e pública do Hospital do Idoso, evitando a precarização e a rotatividade dos profissionais de saúde. 5) Acesso à educação. Esta é uma das principais reivindicações da população idosa. Em um país desigual como o nosso (e Curitiba – lembremos sempre – é, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a 17ª cidade mais desigual de todo o mundo), milhões de pessoas não tiveram acesso à educação na infância e na adolescência. Nada mais justo que o tenham quando idosos. A Prefeitura deve favorecer políticas educacionais específicas, como programas de alfabetização para idosos. 6) Campanhas educativas de valorização do idoso. Em muitas situações, os idosos são vítimas de toda sorte de preconceitos, segundo certa visão que os considera como pessoas já superadas e não mais aptas ao trabalho e à participação social. Trata-se de um terrível estigma cultural que deve ser combatido com campanhas específicas. 7) Acesso às tecnologias da informação. Pesquisas mostram que, se a exclusão digital no Brasil já é imensa, ela é ainda mais dramática na terceira idade. Trata-se desde a falta de acesso aos equipamentos (computadores, impressoras, etc.), quanto na ausência de letramento digital. A Prefeitura deve oferecer cursos de letramento digital, ministrados por professores especializados. 8) Acesso ao trabalho, que inclua desde o acesso à formação profissional, quanto o combate à discriminação etária, seja no serviço público, seja na iniciativa privada. 9) Por fim, deve-se observar que tais medidas só poderão ser implementadas se houver a participação dos próprios idosos, por meio de suas associações, de acordo com os mecanismos de democracia real e direta defendidos pelo programa da Frente de Esquerda, como a presença em conselhos com caráter deliberativo. Passemos às perguntas. 1ª) Em relação ao atendimento de alta complexidade da assistência social, qual sua proposta em relação às ILPI´s?  R: Acredito que a sociedade deve ter mais respeito com os idosos antes de criticá-los. Precisamos de mais Políticas Públicas. Os idosos que demandam atenção maior têm que receber atenção especial do Poder Público. 2ª) Como vê a criação de uma entidade para coordenar a política municipal do idoso? R: Qualificação de agentes. Orçamento público deve destinar valor específico para o idoso, deve ter um órgão específico para atendê-lo (Secretaria do Idoso). 3ª) O que o candidato pretende fazer para acabar com o número elevado de idosos internados nos postos 24 horas? R: Fortalecer a atenção preventiva, receber atendimento continuado em casa e Formação de Agentes Comunitários.  Neste momento o candidato agradeceu a oportunidade de expor suas propostas e assinou o Termo de Compromisso. Prosseguindo, Gilson Fernando Gomy de Ribeiro convidou o candidato Carlos Roberto Massa Júnior, do Partido Social Cristão (PSC) para ocupar a mesa. Este iniciou agradecendo o convite, cumprimentou, apresentou-se e disse estar a nossa capital, vivendo um novo momento. O modelo elaborado há cinquenta anos foi pensado a médio e longo prazo, mas que hoje está num momento de estagnação. Não temos planejamento para a Copa do Mundo, por exemplo. Desejou fazer um resgate fortalecendo o IPPUC. Vem com a meta de que seja pensada “a nova geração” até mais tarde do que 2014 e sim chegar a 2020. Trazer os melhores técnicos para Curitiba, diante de seus bons contactos com o Governo do Paraná e com a Presidência da República. O Prefeito tem que ser gestor do trabalho e não um tecnocrata. Deve haver um Instituto de preparo para o estudo fundamental. Curitiba hoje está mais violenta. Temos que adotar um modelo de transporte público, pois a única inovação é um novo ônibus para um adicional de mais 40 pessoas. Não existe o vigor de fazer diferente. Visitei muitos países e estou preparado para ser o Prefeito de Curitiba. Viajei muito. Fiz parte do Conselho Político da Presidente Dilma. Preparei-me para ser Prefeito. O Brasil sempre pensou nas Políticas para idosos como se esses fossem uns coitados; temos que mudar. Não é só criar asilos. Os idosos querem respeito e centros de lazer. Passemos às perguntas:  1ª) Como vê o candidato a pequena quantidade de banheiros públicos em Curitiba, fato prejudicial aos moradores da cidade e principalmente ao idoso? R: Hoje não existe em Curitiba, a quantidade necessária de banheiros públicos; a calçada tem que ter acessibilidade. Tem que haver mais banheiros nos terminais e em locais estratégicos. Construiremos banheiros a preço justo. 2ª) Em relação ao Hospital do Idoso, foi projetado para ser uma referência nacional, no entanto, funciona com apenas 10% de sua capacidade total e existe uma falta de profissionais. Que medidas serão tomadas? R: Não fazer anúncio em época de eleições. Isto fez com que nossos idosos não fossem atendidos porque precisam primeiramente passar por um posto de saúde 24 horas. Tem a cidade da propaganda e a cidade da vida real. Ele será equipado e será um porto seguro. 3ª) Candidato se eleito pretende reduzir a isenção tarifária para o idoso de 65 anos para 60 anos, como considera o Estatuto do Idoso?  Fazendo valer a Lei? R: Vemos com tranqüilidade, a redução ou isenção da passagem de ônibus fazendo um orçamento adequado para viabilizar esse fato. Neste momento assinou o Termo de Responsabilidade e despediu-se. Gilson Fernando Gomy de Ribeiro convidou o Sr. Homero Giacomini, representante do candidato Luciano Ducci, do Partido Socialista Brasileiro (PSB), o qual apresentou desculpas pela ausência do Candidato Luciano Ducci e de seu vice Rubens Bueno. Iniciou dizendo que em Curitiba a esperança de vida ao nascer é de 72,6% para homens e 81,1% para mulheres. Nos últimos 10 anos a população em geral cresceu 11%, a de idosos 48% 5 vezes mais. Hoje 198.000 idosos- 11% da população- e em 2050, mais de 30% da população será idosa. Se fosse hoje é como se tivéssemos 580.000 pessoas idosas em nossa cidade. A política para a pessoa idosa precisa ser desenvolvida através de muitas frentes de ação: 1. Temos o Conselho dos Direitos da Pessoa Idosa, responsável pela execução da Política Municipal da Pessoa Idosa, que supervisiona, acompanha, avalia e fiscaliza a política. Realizamos três Audiências Públicas da Pessoa Idosa, com a participação de 1.280 pessoas. 2. Promoção e Assistência Social. Mantemos sete centros de atividades recreativas, culturais e de lazer, que atenderam a 2.200 idosos em 2001. Atividades para 161 grupos de convivência nos Centros de Assistência Social e espaços parceiros, com a participação de 4.350 pessoas idosas. Temos os Centros Dia de Atenção à Pessoa Idosa: Recanto Tarumã e São Vicente de Paulo, possibilitando a sua proteção em situações de risco, com alimentação, inclusão em ações de convivência e fortalecimento de vínculos, atendimento médico, fisioterápico, psicológico e acompanhamento familiar, os quais serão ampliados. Fiscalização dos privados: Conselho, Fundação de Ação Social (programa de qualidade) e Vigilância Sanitária. Entrega de mais de 40.000 cestas básicas às famílias participantes do Vale Vovó (2.500 pessoas idosas atendidas). Em novembro vamos realizar a Primeira Feira de Emprego para a pessoa Idosa. Vamos implantar o serviço de atendimento domiciliar para redução e prevenção de situações de isolamento social, junto com o serviço de atendimento médico em casa e junto com o trabalho de voluntariado da Pastoral do Idoso (já está sendo feito).  3. Atividades físicas de esporte e lazer: Implantamos 100 (cem) academias ao ar livre em todas as Regionais da cidade e vamos ampliar e incluir acompanhamento e orientação para o uso. Nos Centros de Esporte e Lazer e nos Clubes da Gente foram realizadas atividades recreativas, de lazer e esportivas para 3.566 pessoas idosas por mês: são aulas de ginástica, hidroginástica, alongamentos, caminhadas e dança. Vamos ampliar a rede de Clubes da Gente com a construção dos Clubes da Gente da Boa Vista e de Santa Felicidade e da reforma do Centro de Esporte e Lazer da Praça Oswaldo Cruz, na Matriz. 4. Saúde: Do ano 2.000 para até hoje, os principais problemas de saúde são o câncer, os diabetes, as mortes por violência e as doenças ligadas ao envelhecimento como Alzheimer e mortes ligadas a quedas sofridas pelas pessoas idosas. Cada vez mais investir na promoção da saúde e prevenção das doenças. Nessa linha o destaque é a promoção ao envelhecimento saudável, que precisa de espaços para convivência, equipamentos para atividade física, de uma cultura social de valorização do idoso, da promoção do atendimento ao idoso no conforto do lar. Para tudo isso é preciso a formação de profissionais para a área. Todas essas ações, da Prefeitura e seus parceiros, estão integradas em torno do Hospital do Idoso Zilda Arns, que além de um hospital especializado em geriatria e gerontologia é o centro de uma rede que tem a pesquisa, a formação de pessoal para cuidar de idosos, a central de atendimento domiciliar e é Observatório Nacional do idoso do Ministério da Saúde. Símbolo maior de uma política com visão de futuro. Nas nossas unidades de saúde, em toda a cidade, inauguramos 61 espaços saúde onde a população se reúne para atividades com grupos de idosos, hipertensos e diabéticos. Vamos construir mais espaços saúde. 8.000 profissionais de saúde, 2.000 médicos, mais de 4.500 contratações da gestão Beto Richa para cá. Vamos construir 12 novas unidades básicas de saúde: 23 de agosto, Mercês, Salgado Filho, Tatuquara, Campo de Santana, Acrópole, Jardim das Américas, Campo Alegre, Coqueiros e Jardim Aliança, Sagrado Coração e Bacacheri. Vamos reconstruir 10 unidades básicas de saúde: Vila Leonice, Moradias Belém, Esmeralda, São Domingos, Vila Clarice, Palmeiras, Estrela, Vila Machado, Sabará e Xaxim. Construir 3 CMUMs  Tatuquara, Matriz e Pilarzinho. Construir o centro de especialidades médicas regional, em parceria com o Governo do Estado, na Regional Boa Vista. Construir o Hospital de Pronto Socorro Norte, em parceria com o Governo do Estado, para atender Curitiba e Região Metropolitana. Ampliar o Pronto Socorro do Hospital do Trabalhador. 5. Educação e Cultura: O programa alfabetizando com saúde, para adultos e idosos, recebeu em 2008 o Premio Mundial da UNESCO/ONU de melhor programa de alfabetização em todo o mundo – 2008. São voluntários que alfabetizam com temas de saúde, nas unidades de saúde. A promoção do trabalho voluntário dos próprios idosos tem dois bons exemplos no projeto “Agente Master” com certificação de 1.500 idosos como multiplicadores para ações educativas visando a prevenção da dengue e o de idosos voluntários nas ações educativas da “Semana Nacional do Trânsito”. Na área da cultura podemos salientar o acesso dos idosos a programas como cinema a um real, festivais de teatro, música, dança, casas da leitura, natal de luz, oficinas de artesanato, leitura e muitas outras. Acessibilidade: Estamos num processo contínuo de adequação dos espaços urbanos para que os idosos tenham condições de mobilidade. Foram implantados 230 km de calçadas novas com rampas, faixas elevadas. 95% do sistema de transporte têm acessibilidade, programa que vamos intensificar cada vez mais. Perguntas: 1ª) Como justifica a quantidade de idosos nos 24 horas, sendo que o Hospital do Idoso já foi inaugurado?  R: Não existe este exagero, nem há condições de colocar todas as pessoas dos 24 horas, para serem atendidas no Hospital do Idoso. 2ª) Qual sua proposta para aumento no atendimento dos idosos na modalidade Centro Dia, para atender todas as regionais e CREAS (Centro de Atendimento Especializado de Assistência Social) em Curitiba. R: Estes serviços têm que ser estabelecidos como uma rede de referências, para ser trabalhado organizado e ampliado com parcerias, etc.. 3ª) Quais foram as políticas públicas adotadas visando melhorar a qualidade de vida dos idosos? Principalmente em relação à saúde já que há tantos idosos fora do sistema? R: Não há idosos fora do sistema, 40.000 consultas feitas pelo SUS. Uma cidade complexa como a nossa, tem que ter soluções complexas.  No campo cultural e no campo vacinas.  Agradeceu o espaço concedido e comprometeu-se levar o Termo de Compromisso para o candidato Luciano Ducci assinar e devolver para o Fórum. Na sequência foi convidado o candidato Rafael Valdomiro Greca de Macedo, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) para apresentar suas propostas. Ao agradecer à calorosa e gentil acolhida no oportuno Fórum da Pessoa Idosa, e a possibilidade de apresentar e debater nossas idéias para o futuro de Curitiba - no que concerne o tratamento, os cuidados e a atenção que todos os cidadãos merecem, aí incluídos os mais fragilizados como os idosos - tenho o prazer de apresentar, a pedido, as linhas gerais de nosso programa dedicado ao idoso, na futura Prefeitura de Curitiba. Saliento também a obra já realizada, pioneiramente, através a Fundação de Ação Social, fundada em minha gestão de Prefeito Municipal para o atendimento das famílias, apoiada em outras secretarias e também no Instituto Pró-Cidadania, fundado em minha administração, para os cuidados e atenção específica para com os idosos, quando prefeito de Curitiba, 1993-1996. A grande maioria desses serviços imprescindíveis foi desativada pelos meus sucessores ou perdeu sua finalidade, transformada numa sigla vazia e sem referência. Vamos retomar esses cuidados e atenções específicas, e vamos ampliar as oportunidades de cidadania, os acessos, a dedicação sem trégua. Outras ideias sobre o programa para idosos na Prefeitura de Curitiba serão apresentadas em nosso Programa Eleitoral, nos portais, nas redes sociais. Pedimos, gentilmente para que acompanhem essas propostas. Toda colaboração dos cidadãos de boa vontade será bem vinda para melhorá-las e engrandecê-las. O agradecimento é a memória do coração. Vamos unidos, mudar a realidade que nos desagrada. Vamos erguer os caídos nas ruas, nas praças, encaminhar os doentes, cuidá-los com dignidade em casa.  Cabe à Prefeitura proteger todos os cidadãos. Nossa Prefeitura vai acolher reivindicações de todos os cidadãos, especialmente os mais fragilizados, e aí incluí-se os idosos. Pessoas terão seus direitos sociais plenamente respeitados como pede a Constituição. SOS Idoso pioneiro no Brasil. Quando prefeito, criamos o primeiro serviço SOS Idoso do Brasil. O número de telefone 321-8778 recebia denúncias de abandono e maus tratos a idosos. Assistentes sociais visitavam os idosos para conhecer a situação em que viviam e faziam os encaminhamentos necessários. Os idosos e suas famílias recebiam orientação sobre os seus direitos de serem tratados e respeitados. Nosso programa criado com o nome Terceira Idade, atendia adultos a partir de 65 anos, com atividades educativas de capacitação, lazer e recreação e ginástica, além de atividades culturais, em nome da integridade física, mental e social. Acessava ao idoso a reconquista de sua atividade e independência. Possibilitava a participação em programas de solidariedade. Solidariedade social – mestre versus aprendiz – casas de comunidade. Programa de solidariedade social valorizava a experiência dos idosos na convergência com necessidades e cuidados com jovens, em reuniões nas Casas de Comunidade, que fundamos e funcionavam em todas as Regionais. Elas desapareceram. Vamos reativá-las. Vale Vovô - Vale Vovó. Criamos o Vale Vovó e Vale Vovô, com cesta básica de alimentos e produtos de higiene, entregues na casa do idoso, para observar e dar andamento às medidas necessárias ao convívio familiar. Isto para famílias de um salário mínimo de renda mensal familiar. Famílias de baixa renda têm forte tendência a colocar seus idosos em asilos ou hospitais, para diminuir as despesas. Para manter o idoso no convívio do lar e valorizá-lo, a Fundação de Ação Social criou o Vale Vovó, incentivando a família do idoso a tratá-lo condignamente, respeitando o princípio bíblico “Honrarás pai e mãe”, e valorizá-lo, porque ele contribui para o sustento da casa. Na minha gestão, o Vale Vovó chegou a atender, por mês, sete mil pessoas idosas carentes. Quando a Prefeitura deixou de entregar o Vale Vovó na casa do idoso, o programa foi desvirtuado. Amparamos mulheres idosas, ameaçadas ou vítimas de violência, na Pousada de Maria, a primeira do gênero no Brasil. Home Care para idosos com Médicos de Família, remédios entregues em domicílio vamos ampliar o atendimento especializado para os idosos, A idéia é atender os inválidos, dependentes, ou com necessidades especiais em casa. Com expectativa de vida maior, vamos ampliar o número de geriatras nos Postos de Saúde para atendimento especializado. Cursos de Cuidadores de Idosos nos Liceus de Ofícios. Vamos criar e possibilitar cursos de cuidadores de idosos em nossos Liceus de Ofícios. Criamos na Prefeitura 72 Liceus de Ofícios. Hoje, são poucos os que existem. Vamos melhorar a acessibilidade dos idosos na cidade e nos equipamentos da Polícia Militar de Curitiba. Vamos ampliar as possibilidades de ação e atenção para com os idosos. Vamos ser parceiros das famílias carentes, sobremaneira as de baixa renda e mais fragilizadas. O cidadão idoso ocupado e com atenção domiciliar, atendido por assistentes sociais e pelos médicos de família, é o cidadão longe do posto de saúde, do hospital e da depressão. A ninguém, na nossa Prefeitura, despedimos de mãos vazias na Fundação de Ação Social, atendimento intenso também aos idosos na Unidade de Saúde FAS-SOS, nos ônibus da Linha Sopão, na Casa da Acolhida e do Regresso, na entrega do Vale Vovó, na Fazenda Solidariedade, que acolhia homens em situação de risco, vítimas de drogas e alcoolismo. A Fazenda Solidariedade foi fechada. Hoje pessoas perambulam pelas ruas, caídas, sem atenção. Governaremos Curitiba para promoção da cidadania, sem excluir ninguém, com respeito aos direitos humanos. Quero inclusão social e igualdade de oportunidades para todos Até porque já fiz isto quando Prefeito.  Vou combater a desigualdade e a discriminação, educar para a saúde e para a vida. Quero mudança. Quero Curitiba inovadora, moderna e justa.  Perguntas: 1ª) Como o Senhor vê a falta de centros dia em Curitiba? R: Eu criei os 24 horas. Só pode funcionar se tiver hospital ou clínica próximo. 2ª) Como o Senhor vê a falta de acessibilidade em Curitiba? R: Tem que ser melhorada, é essencial e tem que ser feita. Tem que ser um programa permanente. Agradeceu novamente a oportunidade e assinou o Termo de Compromisso. Quanto aos candidatos que não compareceram a este III Encontro, temos inicialmente a esclarecer que houve muita dificuldade na localização de Carlos Roberto Moraes, visto que os dirigentes de seu partido, o PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro), em face de divergências internas, se recusaram a fornecer o endereço ou o telefone do candidato. Conseguimos contato com ele, apenas no dia 27 de agosto, ocasião em que Carlos Roberto Moraes nos informou que no dia 31 de agosto, infelizmente, estaria em Brasília tentando regularizar a situação de sua candidatura, mas informou que o candidato a Vice-Prefeito, Cláudio Mariano, o representaria no III Encontro. Todavia na véspera do evento, dia 30 de agosto, o Sr. Cláudio Mariano nos informou que não poderia estar no encontro, face a problemas de saúde. No que diz respeito ao candidato Avanilson Alves Araújo do PSTU (Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados), foi contatado com boa antecedência na sede do partido, onde em a candidata a Câmara de Vereadores pelo PSTU, Mariane Siqueira, se prontificou a contatar com o candidato para definir a sua presença ou não no encontro com os idosos. Alguns dias depois, ela telefonou confirmando a presença de Avanilson Alves Araújo. Infelizmente na manhã do evento, ou seja, no dia 31 de agosto, após um telefonema do próprio Avanilson, informou que nem ele nem a candidata à Vice-Prefeita, Beatriz de Campos, poderiam comparecer a reunião pré-agendada, não dando maiores explicações para tal ausência. Na sequência foi dada a oportunidade para que os candidatos a vereadores pudessem apresentar-se. Assim sendo, subiram ao palco os candidatos a vereador presentes: Rodrigo Barbieri, Dr. Laércio e Juliana Ribeiro, que declinaram seus nomes e respectivos números. Após foi passada a palavra ao Professor Francisco Zanardini, que em nome da Faculdade Dom Bosco, elogiou a alta qualidade do evento programado e realizado, e que deu a oportunidade a uma série de pessoas para conhecerem os candidatos e suas respectivas propostas. O Sr. José Araújo da Silva, pediu a palavra agradecendo aos presentes pela participação e especialmente a Edilmere Sprada, pela luta incansável e dedicação garantindo o sucesso do evento. Nada mais havendo a ser tratado, Edilmere Sprada agradeceu também aos presentes e colaboradores, dando por encerrado o evento, cuja ata será assinada pela Primeira Secretária Administrativa e pelo Secretário Geral em exercício. Curitiba, 31 de agosto de 2012.


  Edilmere R. Sprada                                                                   José Araújo da Silva
   1ª Sec. Administrativa                                                                     Sec. Geral em Exercício
            FPPPI                                                                                                 FPPPI